"Se pensas que és pequeno para fazer a diferença... tenta dormir num quarto fechado com um mosquito."
Provérbio africano, no editorial da revista "Recicla"

20.12.06

Judaísmo e Arquitectura Quinhentista na Beira Interior de Portugal

A OASRS encontra-se a preparar um Encontro sobre Judaísmo e Arquitectura Quinhentista na Beira Interior de Portugal, a realizar no dia 15 de Janeiro, na Sede Nacional da Ordem dos Arquitectos.
"A Beira Interior de Portugal é indiscutivelmente uma região com tradições multiculturais, com reflexos diferenciados nas formas do habitat.
Apesar de se poder considerar que a presença judaica nesta região se verificava com algum significado já no séc. XII, foi essencialmente a partir de 1492, com a entrada massiva em Portugal de cerca de 120.000 refugiados sefarditas expulsos pelos réis católicos de Espanha, que o panorama da Beira Interior em termos urbanos, culturais, económicos e sociais se alterou radicalmente. O património legado pelos muitos judeus que se refugiaram e fixaram nas zonas de fronteira é por isso vastíssimo em todos os campos da actividade humana na Beira Interior, apesar de incrivelmente tapado, escondido, inconsciente, com ele tantas vezes na frente dos olhos sem que tenhamos consciência disso.
Refira-se que as principais cidades da região, tiveram então um aumento demográfico da ordem dos 60% e que alguns historiadores consideram que os judeus chegaram a constituir ¼ da nossa população; Portugal era então conhecido no mundo pelo País dos judeus.
Este Encontro, mostra essencialmente em traços largos os princípios e influência da cultura judaica no urbanismo e arquitectura do ocidente (segundo o Arqt.º Bruno Zevi), caracteriza as linguagens desta arquitectura na Beira Interior, mostra a sua provável evolução tipológica e apresenta muitos e variados casos exemplificativos, fruto de diferentes trabalhos de investigação e projectos de intervenção urbana em curso.
A publicação “Arquitectura Popular em Portugal” resume a influência do judaísmo na arquitectura a uma simples página, sendo provável que a inquisição salazarista diabolisando esta cultura e religião não desse permissão a que se fosse mais longe. O presente Encontro, ainda que confinando a sua incidência à área geográfica da Beira Interior, rompe de vez com tal visão restrita e vem mostrar que o judaísmo no nosso País produziu uma revolução urbana durante os sécs. XVI e XVII. O presente seminário contribui para abertura de portas e pistas na investigação, quanto ao alargamento da influência judaica no urbanismo e arquitectura a outros continentes, através da criação de novas cidades portuguesas ligadas aos descobrimentos."
Arqtº José da Conceição Afonso

Local: Auditório da Sede Nacional da Ordem dos Arquitectos
Tv. do Carvalho, 21 – 25, 1249-003 Lisboa;
Tel: 213 241 177
Dia: 15.01.2007

Encontro a 15 de Janeiro - abertas as inscrições

PROGRAMA
9.00 – RECEPÇÃO
- Distribuição de documentos
9.30 – SESSÃO DE ABERTURA
- Presidente da O.A. / CDN – Arqª Helena Roseta (a confirmar);
- Presidente da O.A. / S.R.S – Arqª Leonor Cintra Gomes;
- Sua Exc.ª o Embaixador de Israel – Sr. Aaron Ram (a confirmar);
- Presidente da Comunidade Judaica Portuguesa: Dr. José Oulman Carp (a confirmar);
CONFERÊNCIA DE ABERTURA
10.00 – Professora Doutora Maria Antonieta Garcia – Directora do Centro de Estudos Judaicos da Universidade da Beira Interior
§ Os Judeus na Beira Interior;
COMUNICAÇÕES
10.35 – Arqtº José da Conceição Afonso – Presidente da Delegação da O.A. / Distrito de Castelo Branco;
§ 1ª Parte: Princípios da Cultura Judaica na Arquitectura do Ocidente (Segundo Bruno Zevi);
11.10 – Pausa para café
11.30 – Arqtº José da Conceição Afonso – Presidente da Delegação da O.A. / Distrito de Castelo Branco;
· 2.ª Parte: Judaísmo, Urbanismo e Arquitectura Civil na Beira Interior Quinhentista
Reflexão e conclusões da análise conjunta de casos:
Belmonte, Meda, Penamacor, Castelo Branco, Celorico da Beira, Covilhã, Figueira de Castelo Rodrigo, Fundão, Gouveia, Guarda, Idanha-a-Nova, Trancoso;
12.05 – Arqtº António Manuel Marques Saraiva – Director Executivo do Polis da Guarda
§ O Urbanismo e a Arquitectura no contexto Judaico da Guarda;
12.40 – Debate
13.15 - Intervalo para almoço
14.45 – Arqtº Vasco Morais Soares
§ Plano de Recuperação e Salvaguarda de Medelim / Idanha–a-Nova: Rua da Judiaria;
15.20 - Arqtº Pedro Flávio Duarte Lopes Martins – Coordenador do G.T. L. / Covilhã
§ História e Reabilitação Urbana da Judiaria da Covilhã;
15.55 – Pausa para café
16.15 – Arqt.ª Ana Isabel Aranda e Cunha – Coordenadora do G.T.L. / Fundão
§ Dinamização dos Percursos de Arquitectura Quinhentista com presença judaica, no Fundão, Aldeia Nova do Cabo e Capinha;
16.50 - Mestre Carmen Ballesteros – CIDEHUS – Universidade de Évora
· Caminhos da Arqueologia Judaica Portuguesa no Contexto Peninsular – Estado da Questão.
17.25 – Dr.ª Carla Alexandra dos Santos – Historiadora
§ Marcas Mágico Religiosas em Espaço Urbano e Rural do Concelho de Trancoso;
18.00 – Arqt.º António José de Sousa Caria Mendes
· As Sinagogas Medievais em Portugal e a Lei
18.35 – Debate
19.00 – Encerramento
CONVIDADOS DE HONRA
• Vice- Presidente da Comunidade Judaica Portuguesa
Dr.ª Esther Mucznik,
• Associação Portuguesa de Estudos Judaicos
- Presidente: Sr.º Robert Bachmann;
- D. Mery Drozdzinki Ruah;
• Cátedra de Estudos Sefarditas:
- Professor Doutor António Augusto Marques de Almeida, Presidente;
- Dr. Paulo Pinto;
• Presidente da Comunidade Judaica de Belmonte
- Sr. Abílio Mourão Henriques;
• Presidentes das Câmaras Municipais
- Trancoso; Belmonte, Celorico da Beira, Castelo Branco.
A confirmar: - Meda, Penamacor, Covilhã, Pinhel, Sabugal, Figueira
de Castelo Rodrigo, Fundão, Gouveia, Guarda, Idanha-a-Nova.
• Presidente da Junta de Turismo da Serra da Estrela
Dr. Jorge Patrão;
• Directora do Museu de Castelo Branco
Dr.ª Aida Rechena
• Directora do Museu da Guarda
Dr.ª Dulce Helena Pires Borges,
• Director do Museu Judaico de Belmonte
Dr.º David Augusto Canelo
• Dr.ª Monique Benveniste;
• Arqº Ricardo Bak Gordon;
• Dr.º Richard Zimmler Escritor e Mestre em Jornalismo / Universidade do Porto;
• Sr.º José Domingos, Jornalista da Lusa;
• Eng.º Manuel da Silva Castelo Branco, Historiador;
• Os palestrantes;



Com o apoio:

Delegação do Distrito de Castelo Branco
E Casa da Prisca em Trancoso.
Nº mínimo de Participantes - 45
Nº Máximo de Participantes - 80
Inscrição:
Estagiário ou Estudante - 65 € (iva incluido)
Membro da OA - 75 € (iva incluido)
Outros - 90 € (iva incluido)
Folheto (PDF 15Kb)

Descarregue aqui a ficha de inscrição (ZIP 30Kb)



Para mais informações contactar:
Arq. Sílvia Leiria Viegas
telf : 21 324 11 77
Email: formacaocontinua@oasrs.org

1 comentário:

al cardoso disse...

Ora aqui esta um evento, que nao perderia caso residi-se na "nossa" Beira, ou em Portugal.
Espero alguma entrada sobre as conclusoes.

Um abraco de Boas Festas.