"Se pensas que és pequeno para fazer a diferença... tenta dormir num quarto fechado com um mosquito."
Provérbio africano, no editorial da revista "Recicla"

25.4.06

Revolução do 25 de Abril

Também denominada por Revolução dos Cravos, a revolução do 25 de Abril decretou o fim da ditadura do Estado Novo.
A revolução foi pensada, programada e levada a cabo por um grupo de militares descontentes com o regime e a situação militar resultante da guerra colonial.
Estes militares, na sua maioria capitães, uniram-se no chamado "Movimento das Forças Armadas" (MFA), e na madrugada do dia 25 tomaram os principais pontos estratégicos da capital. "Na tarde desse mesmo dia, o presidente do Conselho, Marcelo Caetano, rende-se no Quartel do Carmo, cercado pelos carros de combate do capitão Salgueiro Maia".
A população apoiou desde o primeiro minuto o MFA, facto que se tornou decisivo para a vitória do movimento. O povo percebeu que os capitães tinham a vontade de restaurar liberdades há muito perdidas e enterrar um regime podre e caduco.
Com a revolução dos cravos regressam as liberdades de opinião, de expressão e de imprensa. Fala-se sem medo de ser punido por aquilo que se diz e pensa.

1 comentário:

Frederico disse...

Dois apontamentos:
a) Não creio que as motivações fossem tão exclusivas sobre a guerra colonial, apesar de bastante condenavel.

b) 32 Anos passados da Revolução, é tempo de identificar os erros do pós 25 de Abril. Isto é, em Portugal, os homens do antigo regime e da PIDE "evaporaram-se" nessa data. É tempo de aceitarmos que fomos cumplices de um regime ditaturial e que o progresso do país passa pelo reconhecimento do erro. Caso contrário, continuamos orfãos de uma pátria cuja história recente rejeitamos.

25 de Abril, Sempre!
Despesismo e abuso do Património Comum, NUNCA MAIS!