"Se pensas que és pequeno para fazer a diferença... tenta dormir num quarto fechado com um mosquito."
Provérbio africano, no editorial da revista "Recicla"

16.5.06

Viagem a Lisboa

Estive na passada semana em Lisboa para realizar um conjunto de reuniões.
A primeira surpresa é que a conversa com a Presidente da empresa foi por video-conferência porque está a viver em Serpa.
Depois, para os vários interlocutores a preocupação era em saber como é que poderiam fazer como eu, isto é, trabalhar nas suas organizações apartir da sua terra no interior do país...

Quando sai de uma reunião, estive 30 minutos para andar 5 kms. Depois disso tive uma operação stop onde fiquei retido 10 minutos. A seguir, já na IC 19, fui o primeiro carro a livrar-se de um choque em cadeia que envolveu 10 viaturas.

Para quê palavras! É o resultado de um mau planeamento naquela terra mal frequentada...

7 comentários:

al cardoso disse...

Ainda estariamos a tempo de inverter a situacao e as mentalidades, acontece porem que o (des)governo que temos, continua mais interessado em concentrar mais servicos, aonde existe ja uma enorme concentracao de gentes e servicos.

Sofia Filo disse...

Caro Frederico.Realmente trabalhar no interior pode ser uma solucao, para fugir ao stress de Lisboa.
No entanto o nosso governo cada vez mais centraliza os organismos nessa cidade de ma memoria.
Essa situacao deve-se ao facto de os individuos que trabalham por cunha nos principais organismos estatais pretenderem continuar a fazer a sua vida na capital.
Quando este sistema de "cosa nostra" acabar, talvez possa existir algum tipo de descentralizacao.

Frederico disse...

Caro Albino Cardoso,

Pois é!
E é tão simples descentralizar...

Bastava distribuir as universidades pelo país para termos centros de inovação a polvilhar o nosso território!

Frederico disse...

Cara Sofia,
Também mas não só...

Para o Governo é muito confortável ter tudo à mão.

Para o país é um desgoverno. Para as empresas um custo quase sempre insuportavel para estar junto ao seu mercado.

Um país pequeno que só crescerá quando contar com todos, e a todos apoiar...

Anónimo disse...

Caro amigo... qualquer grande cidade tem trânsito... Los Angeles tem, Paris tem, Londres tem, Nova Iorque tem, Madrid tem... E como em qualquer lugar há boas pessoas e más pessoas... ou será que é só o interior que é bem frequentado? De qualquer forma percebo onde queres chegar... mas não chegues ao ponto de dizer coisas óbvias (como a questão do trânsito) e sem sentido (nem todas as zonas urbanas são mal frequentadas). Quanto ao mau planeamento concordo contigo até certo ponto mas não totalmente... é que enquanto Trancoso nem chega a ter 50.000 habitantes (todo o concelho), a área metropolitana de Lisboa tem seguramente mais 2.000.000. É portanto plausível que é mais difícil planear e executar a esta escala... ou será que não?!

Frederico disse...

Agradeço a sua msg.
Vivi 33 anos em Lisboa, 10 dos quais a trabalhar em infra-estruturas de transporte (rodovias, ferrovias, aeroportos). Conheço bem os problemas de planeamento. Aliás, fiz dezenas de apresentações públicas sobre o assunto.
Isto para dizer que conheço melhor os problemas de planeamento, do que o caos habitacional que se instalou, porque vivia numa região bastante pacata como é a Serra da Arrábida.
Por diversos motivos deixei Lisboa. E o que defendo é que não é possível esperar desenvolvimento com a concentração de recursos (e problemas) na cidade de Lisboa.

Um abraço e renovo a gratidão pelo seu comentário

Frederico disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.