"Se pensas que és pequeno para fazer a diferença... tenta dormir num quarto fechado com um mosquito."
Provérbio africano, no editorial da revista "Recicla"

16.9.05

Os Candidatos à Câmara de Trancoso Pelo Jornal " O Interior"

Na edição desta semana do jornal " O interior " dá-nos a ler respostas a algumas perguntas feitas pelo jornal aos candidatos de algumas autarquias da região, entre elas a dos candidatos à autarquia de Trancoso:

Armando Morais, candidato da CDU à Câmara de Trancoso
A primeira opção é dotar o concelho de um Plano Estratégico de Desenvolvimento, tendo a realidade sócio-económica como pano de fundo para uma definição acertada das opções a tomar, da qual destaco a grande importância da agricultura, principal actividade da sua população. Não basta ter um Centro de Congressos, é necessário dar utilização a todos os equipamentos construídos, dinamizar a economia, criar emprego e dar qualidade de vida às populações. Criar um Gabinete de Apoio ao Agricultor, para fortalecer a organização desta camada social e empresarial, apoiando a comercialização dos seus produtos - como a castanha, fazendo desta um produto de excelência, senão mesmo um ex-líbris de Trancoso. O abastecimento de água potável ao domicílio tem de ser resolvido sendo necessário rever todo o processo de constituição das Águas da Teja. Proceder à reflorestação qualificada da floresta que tenha em conta as espécies autóctones, como o carvalho, o castanheiro e outras. Lançar iniciativas de sensibilização e de pressão política para concluir o IP2, ligando a A25 a Foz Côa, e para construir o IC26 de Trancoso à A24. Melhoria de toda a rede viária interna do concelho. Elaborar a carta cultural do concelho, procedendo à inventariação do património histórico construído, oral e cultural. Elaborar um plano de recuperação e dinamização do centro histórico de Trancoso e de Moreira do Rei. Criar um gabinete de apoio às juntas de Freguesia, para informação dos projectos a que estas se podem candidatar, e para apoio na elaboração das candidaturas. 2 - Falta muito. Faltam infra-estruturas e serviços básicos essenciais para o bem-estar e saúde das populações, como o abastecimento de água, rede de esgotos e o seu tratamento. Falta dinamismo e iniciativa para atrair novos investidores. Faltam estruturas de apoio sócio- económico de modo a potenciar o desenvolvimento e a fixação da população. Algumas estruturas importantes existentes no concelho, como a Escola Profissional de Trancoso, a Cooperativa Bandarra, a Adega Cooperativa de Vila Franca das Naves, o sector leiteiro com destaque para a empresa "Lactovil", precisam de ter uma cooperação mais estreita com o Município de modo a potenciarem a sua acção de acordo com a acção que desenvolvem e com os interesses mais gerais do concelho. 3 - Uma gestão municipal aberta e participada, com audição das populações e suas organizações representativas, juntas de Freguesia, sindicatos, associações de índole económico, social e recreativo. Resolver questões básicas que têm a ver com a saúde da população, como o abastecimento de água de qualidade às populações e a construção de outras infra-estruturas na área dos esgotos e seu tratamento. O problema dos maus cheiros às portas da cidade de Trancoso tem de ser resolvido de imediato. Mais atenção aos problemas dos agricultores dando-lhes apoio técnico para melhorarem as suas produções. Mais atenção aos jovens, lançando iniciativas para uma ocupação saudável dos seus tempos livres. Mais dinamismo na área económica e social para fixar a população do concelho. 4 - A dedicação às causas das quais dependem a melhoria das condições de vida e de trabalho, especialmente da população desfavorecida, sem esquecer camadas sociais que no plano económico têm iniciativa empresarial e no desenvolvimento do concelho. 5 - Subir a votação da CDU de forma significativa. Pelo trabalho realizado junto das populações de forma regular e não apenas nos períodos eleitorais. 6 - Aceitar a vontade soberana do eleitorado sem recriminações ou queixumes, além de profundamente democrático, é salutar para mim e para a força política que represento.


Júlio Sarmento, candidato do PSD à Câmara Municipal de Trancoso
1 – A estratégia integrada de intervenção que defendemos, consubstancia-se nas seguintes opções: recentrar a importância geo-estratégica de Trancoso, através da melhoria das acessibilidades externas e internas, designadamente IP2, o IC26, as variantes Norte e Sul de Trancoso e a variante a Vila Franca das Naves. Pretendemos incentivar e promover o desenvolvimento económico do concelho, através de novas Zonas Industriais, do novo mercado municipal e o tratamento do campo da feira. A construção do Parque Eólico Lagar Pingulinha, um investimento privado de 35 milhões de euros, sendo previsível dois novos projectos no valor estimado em mais de 20 milhões de euros. Apoiar a educação e formação profissional, reestruturando os equipamentos educativos no concelho, a Escola Secundária em Trancoso e o novo pólo do 1º Ciclo em Vila Franca das Naves e concluir a elaboração da Carta Escolar, bem como definir a rede adequada de equipamentos dos jardins de infância, ATL´s e escolas do 1º Ciclo. Valorizar o património e promover o turismo com o programa da "aldeia histórica" em Trancoso (que compreende a reabilitação de fachadas, pavimentos, largos públicos e iluminação pública), novas unidades museológicas, concretizar o projecto para o Campo da Batalha de Trancoso, uma política de promoção de turismo eficaz no marketing e merchandising, a promoção de programas turísticos, com os demais municípios da Beira Interior, para o conjunto das aldeias históricas e intervir em Moreira de Rei e Torre do Terrenho na sequência do projecto elaborado pelo Gabinete Técnico Local. Melhorar a qualidade de vida ambiental com a conclusão do projecto de adução a todo o concelho a partir da barragem da Teja, concluir a infra-estruturação do concelho, melhorar a qualidade da água e dos resíduos e renogociar a revisão do tarifário de forma a desagravar os consumos mais baixos e médios. Renovar e melhorar a oferta cultural e desportiva com a construção de uma nova piscina coberta em Vila Franca das Naves e as novas piscinas exteriores de Trancoso, ambas em execução, a construção de um equipamento de apoio ao Convento dos Frades (reabilitando o edifício anexo), a construção de novos polivalentes desportivos no concelho, apoio à promoção do desporto, o melhoramento do parque desportivo existente e continuaremos com programas culturais ao longo do ano. Por fim a saúde, assistência social e protecção civil assegurando a oferta integrada de melhores cuidados de saúde, apoiando as novas instalações de saúde e sociais no âmbito do programa XXI, articulando o serviço municipal de Protecção Civil e ampliando a oferta de centros de dia e de noite e do apoio domiciliário. 2 – Trancoso registou o terceiro melhor resultado demográfico do distrito e apresentou a segunda maior taxa de crescimento urbano a seguir ao concelho da Guarda. O que faz falta, ainda, ao concelho de Trancoso, resulta das opções já apresentadas na resposta anterior. Ressalta de maior evidência, a concretização do IP2 com perfil de auto estrada e as variantes a Trancoso e Vila Franca das Naves, a melhoria da qualidade de água e a conclusão da adução a todo o concelho, bem como, a criação de mais postos de trabalho, apesar dos elevados índices de investimento público, assistencial e privado. A Câmara de Trancoso tem vindo a apoiar novas iniciativas empresariais, mas está também, a negociar a concretização de novos investimentos para o concelho, que aumentarão a oferta de postos de trabalho. 3 – Ganharemos certamente as eleições, atento o vasto apoio popular, o trabalho já realizado e a qualidade dos nossos candidatos. Trancoso irá viver tempos novos com a intervenção prevista no Centro Histórico e com a reabilitação do edifício da Câmara Municipal, do mercado municipal, do campo da feira, do Castelo, dos novos núcleos museológicos e ainda do campo de batalha. Continuaremos a executar a política de melhoria da qualidade urbana, com novos jardins e parques públicos. Irão concretizar-se os equipamentos culturais, desportivos e assistenciais, já em execução ou previstos, para Vila Franca das Naves, Freches e outras freguesias do concelho. Assistiremos, ao início da construção do IP2 e do IC26 que terão um impacto significativo no concelho de Trancoso e na região. 4 – A experiência, a capacidade de intervenção política, os conhecimentos adquiridos, os contactos estabelecidos com autoridades nacionais e espanholas, que se revela importante no quadro das novas políticas de fronteira, bem como, a coerência da prática política, que sempre se pautou pela educação, simplicidade e humildade democrática. 5 – Esperamos ganhar com maioria absoluta, porventura mais reforçada, conquistando pelo menos uma junta de freguesia da cidade de Trancoso e a Câmara. Existe colaboração e não uma prática de instabilidade e de guerrilha, que pode ser muito importante para este ou aquele partido, mas é sempre prejudicial aos cidadãos. 6 – Esse cenário não se coloca.
João Paulo Matias, candidato do PS à Câmara Municipal de Trancoso
1 – As nossas grandes opções passam por quatro linhas orientadoras: melhorar as condições de vida das populações das aldeias e cidade; fomentar e modernizar as actividades económicas e a criação de emprego; posicionar Trancoso nos roteiros turísticos do interior/norte, modernizar e abrir a administração municipal. É evidente que tais opções não se podem concretizar num mandato autárquico de quatro anos, no entanto, urge começar a desenvolver políticas activas que permitam a concretização de algumas obras estruturantes. 2 - Infelizmente, faltam muitas obras estruturantes no concelho de Trancoso. Faltam desde logo zonas industriais modernas e bem equipadas que possam captar novos investimentos e, assim, proporcionar a criação de postos de trabalhos como primeira medida de combate à desertificação. Em pleno século XXI continua a existir no concelho algumas freguesias e dezenas de povoações sem abastecimento público de água, saneamento básico e arruamentos condignos. O apoio ao agricultor, ao empresário, ao comerciante, aos idosos e à juventude é praticamente inexistente. A variante de Trancoso, um parque de estacionamento, o centro coordenador de transportes, a modernização do mercado municipal, novas instalações do ensino básico, a remodelação dos Paços de Concelho são apenas alguns dos inúmeros equipamentos que ainda faltam em Trancoso. 3 - O concelho de Trancoso só tem a ganhar com a mudança. A começar pela Câmara, com uma gestão de maior rigor e transparência. Acabará o círculo de interesses e de influências, fruto de mais de 20 anos de gestão do PSD. Deixarão de existir razões para o medo latente existente em Trancoso e provocado pela pressão do poder instalado sobre algumas pessoas cujos empregos dependem directa ou indirectamente da Câmara. Comigo todas as Juntas de Freguesias serão tratadas de forma igual, sem olhar para a cor politica que esteve na origem da sua eleição. O debate público das grandes questões de desenvolvimento do nosso concelho será uma prioridade. É importante que os trancosenses tenham uma palavra a dizer sobre o futuro e o caminho a seguir para esse desenvolvimento. 4 - O Dr. Júlio Sarmento, candidato do PSD, é um homem cansado e sem vontade. Desde as eleições autárquicas de 1997 que tem vindo a dizer que não seria mais candidato. Pior que um candidato sem vontade, seria termos um presidente desmotivado. Por isso, o que mais me distingue do meu adversário é a vontade de trabalhar em prol do desenvolvimento do concelho. Acredito também que terei uma maior capacidade de diálogo e disponibilidade para o munícipe. Quero deixar uma marca de inovação e dinamismo na gestão da Câmara Municipal. Não tenho os vícios de compadrio político e económico que caracteriza o candidato do PSD. Pretendo desenvolver uma gestão transparente e que trate de forma igual todos os trancosenses e todas as instituições do nosso concelho. 5 - Pela primeira vez o PS conseguiu apresentar mais listas candidatas às assembleias de freguesia que o PSD. Este é um claro sinal de mudança e de fragilidade do PSD local. Sentimos também uma vontade intrínseca de mudança nas pessoas que contactamos. Vontade que só não é mais exteriorizada por virtude dos empregos controlados pela Câmara e demais instituições a ela politicamente ligadas. Tenho consciência das dificuldades. No entanto, é evidente que a expectativa é de vitória. Já foi quase possível no passado. Acredito firmemente que esta vontade de mudança se vai traduzir, com a ajuda de todos, numa grande vitória no dia 9 de Outubro. 6 - Embora seja um cenário que não equaciono. Em democracia a derrota é sempre possível porque o povo é soberano. Como democrata respeitarei a decisão popular sem esconder um sentimento natural de tristeza.

Fonte : Jornal o Interior

3 comentários:

Anónimo disse...

Quem disse sr Nuno que o candidato da CDU nao conheçe os problemas do concelho ?

Pela boca morre o peixe...

Nuno disse...

Caro visitante " Anónimo"
Fazer um texto destes não é difícil. Como Leitor assiduo da imprensa regional e talvez com uma prévia preparação conseguiria fazer algo identico referente a outro concelho do distrito ao qual nao resido e nem coheço bem. Propostas concretas....nem vê-las. No entanto dou em parte a mão à palmatória...supeendeu-me.

Anónimo disse...

vivam os Trancosenses. Sou natural de França mas "vim " para Trancoso com 9 anos de idade, estudei aí até termiinar o 12º ano. como não poderia deixar de ser para continuar os estudos~tive de saír e nunca mais tive uma presença "assidua" nessa linda terra, e já lá vão cerca de 15 anos ( já o Presidente era o que ainda lá esta). E gostaria de fazer uma comparação (trabalho na area da saude) os globulos vermelhos são renovados a cada 120 dias, e noentanto sentimo-nos cansados e envelhecemos, apesar de termos sidos feitos por um Deus maravilhoso. Ora.... na politica o sangue também tem que ser renovado, o povo costuma dizer " ...é preciso sangue novo..", eu já não voto em Trancoso, mas quero dizer aos Trancosenses, votem na mudança, estagnado está o nossoi país, essa cidade precisa de alguém como o Dr. Paulo Matias, uma pessoa humilde, culta e decendente de pais humildes e trabalhadores, com sangue novo, com vontade de trabalhar, com garra. E se o Dr. Sarmento, que já teve o seu tempo de antena , quizer se candidatar, que se recandidate quando tiver 81 anos, que agora esta na moda mas por favor.... deixe a Cidade de Trancoso ir para a frente. parabéns pelo Blog. Viva Portugal.... Viva Trancoso e os Trancosenses. NGC