"Se pensas que és pequeno para fazer a diferença... tenta dormir num quarto fechado com um mosquito."
Provérbio africano, no editorial da revista "Recicla"

31.3.07

Salazar é que está a dar


"(...)E Portugal era grande, assente sobre um povo escravo e analfabeto, trémulo e rapado.
Sem ofensa. Um Portugal construído sobre pilares de medo em que se temia tudo, o padre que arrecadava confissões e adultérios, o marido que batia na mulher, o vizinho do lado que era pide, o colega de escola que batia nos outros e carteava um trunfo de pai-ministro, o polícia que usava a farda para comprar fiado. E como todos eram muito pobres, comprava-se açúcar amarelo a prestações, e Omo, e marmelada, e iogurte, e bolachas torradas, luxos. A taberna não fiava.
(...)
Os valentes soldados Silvas nunca mandavam propriedades para as filhas porque não tinham chegado a tê-las, rapazes de mama atirados para o mato com uma espingarda nas mãos por amor à pátria. A pátria devolvia o cadáver."

texto completo em Expresso, Clara Ferreira Alves

2 comentários:

Anónimo disse...

A verdade é que a adopção de uma ideologia mais extremista em Portugal tem sido uma realidade. Já existe um partido (PNR) e já existem algumas organizações (FN e JN por exemplo), o que há no pós 25 de Abril era impensável.
Lentamente vamos assistindo a um fenómeno de crescimento da adopção desta ideologia não só em Portugal mas também por essa Europa fora (Áustria, Suiça e até em França onde o partido de Le Pen tem sempre mais de 10% dos votos).
Apesar de tudo o que aconteceu durante largos anos (bem espelhado neste texto do Expresso) Salazar ganha um concurso (mal concebido na minha opinião) e sai vencedor com 41% dos votos (mais de 200.000 chamadas). Houve uma concentração de extremistas para votar em Salazar? Não me parece...

Porque será afinal?
* Imigração?
* Sistema democrático fragilizado devido à desconfiança do eleitorado na classe política?
* Líderes fracos e com pouco carisma?

Qual a vossa opinião?

1 Abraço a todos e Bom Fim de Semana!

VS

Frederico disse...

Muito obrigado pela participação.

Julgo que houve uma grande mobilização da extrema direita com técnicas que no passado só pertenciam à esquerda "intelectual"...

Por outro lado, e indo ao teu encontro, esta "extrema direita" aproveita a onda de contestação ao fim do pai-estado, que este governo tem demonstrado querer implementar.

Um abraço