"Se pensas que és pequeno para fazer a diferença... tenta dormir num quarto fechado com um mosquito."
Provérbio africano, no editorial da revista "Recicla"

17.1.07

Agenda Cultural

A partir de quinta-feira, e até domingo, 28, a Casa da Moagem, no Fundão, recebe a exposição “Candeeiros de Emoções”, integrada no Festival Y.

Rosário Bello expõe pintura no Cine-Teatro Avenida, de Castelo Branco, até sábado.

O festival de Teatro Amador, a decorrer em Alpedrinha (Fundão), sábado, às 21h30, no auditório do Teatro Clube, “Jogos na Hora da Sesta”, pelo TAP – Teatro Amador de Pombal.

O Centro de Estudos de Novas Tendências Artísticas (CENTA) promove, até quinta-feira, 25, um workshop de teatro que vai decorrer em Castelo Branco.

Um conjunto de litografias de Gregory Baker, intitulado “Texturas de Portugal”, pode ser visto na Galeria do Posto de Turismo de Seia, até terça-feira, dia 30.

Continua patente, até 31 deste mês, a exposição de pintura de José Baptista, na Biblioteca Municipal de Proença-a-Nova, com o tema “As Igrejas no concelho de Proença-a-Nova”.

A Casa da Cultura de Seia expõe até quarta-feira, 31, pintura de Filomena Costa e Carlos Rodrigues.

A Biblioteca de Nisa tem patente, até final do mês, a mostra de pintura “Leituras da Memória”, de Carlos Godinho.

O Posto de Turismo de Oleiros, acolhe, até, quarta-feira, 31, a exposição de fotografia “600 Milhões de anos em imagens”. A mostra é alusiva ao Geopark Naturtejo.

O Serviço de Educação do Museu de Francisco Tavares Proença Júnior, em Castelo Branco, organiza todas as terças-feiras de manhã, até ao final do mês, um atelier dedicado ao património natural.

A Casa da Cultura de Mêda tem patente pintura de Júlia Bernardo até quarta-feira, 31. Os quadros são inspirados na cidade.

Até 28 de Fevereiro, o Museu do Brinquedo de Seia tem patente a exposição “Chegou o Pai Natal... Oh! Oh! Oh!”.

Até 1 de Abril, a Casa da Moagem (Fundão) expõe “Ponto de Fuga”/“Vanishing Point” da Colecção da Fundação de Serralves.

O festival Gouveia Art Rock está marcado para Gouveia, nos dias 21 e 22 de Abril. Robert Fripp e os Magma são os “cabeças de cartaz”.

in Diário XXI

Mar • SÁB 3 • 21H30 • Grande Auditório TMG
Sara Tavares, Balancê
Ao terceiro álbum, Sara Tavares assume-se como uma das cantoras e compositoras da Lisboa mulata do século xxI. Sara Tavares atingiu em Balancê um grau de sofisticação da sua arte que a transforma numa das mais distintas representantes da miscigenação musical, tal como é praticada em Lisboa.
Afastando-se conscientemente da tradição que alimenta o grande caldeirão da música étnica ou de raíz, Balancê investe na pesquisa de uma sonoridade própria, construída ao longo de uma carreira com mais de uma década. O novo álbum, terceiro da sua discografia, funciona como um retrato de uma cantora e compositora que, residindo em Lisboa, não esquece as suas origens cabo-verdianas ou as paisagens emocionais que percorreu durante as inúmeras viagens que tem levado a cabo um pouco por todo o mundo.

www.saratavares.com

voz, guitarra acústica sara Tavares
bateria Fernando carlos
baixo Fernando embaló
percussão Juca Monteiro
guitarra acústica ricardo alves

1 comentário:

al cardoso disse...

Eu que tanto gosto da musica de influencia cabo-verdeana, seria um evento que nao perderia, caso residi-se na nossa Beira!

Um abraco fornense.