"Se pensas que és pequeno para fazer a diferença... tenta dormir num quarto fechado com um mosquito."
Provérbio africano, no editorial da revista "Recicla"

30.11.06

SAP de Trancoso e Almeida poupados

A partir de segunda-feira, as urgências vão mesmo fechar à noite, mas só em Aguiar da Beira e Fornos de Algodres. A confirmação foi transmitida, ontem, aos autarcas pelo presidente da Administração Regional de Saúde (ARS), que percorreu os sete municípios do distrito da Guarda cujos Serviços de Atendimento Permanente estão para encerrar das 22 horas às oito da manhã. Fernando Regateiro abriu, contudo, excepções, uma vez que os SAP de Trancoso e Almeida serão poupados este ano.

O mesmo poderá acontecer no Sabugal e Pinhel, enquanto Celorico da Beira deverá juntar-se à lista dos que vão fechar a 4 de Dezembro. Informação que o JN não conseguiu confirmar, pois as reuniões ainda prosseguiam à hora do fecho desta edição.

Em Trancoso, onde a possibilidade do fecho se mantém, respira-se de alívio e o buzinão de sábado foi desconvocado.

"O presidente da ARS assumiu o compromisso de que não será tomada qualquer decisão antes de vir falar com o Executivo", revelou o autarca local. Júlio Sarmento até propôs uma "moratória", segundo a qual "não deve encerrar à noite nenhum SAP do distrito até que a nova rede de Urgências seja devidamente testada".

Mas Fernando Regateiro levou outras propostas para Coimbra a primeira é a manutenção dos SAP nocturnos em todos os concelhos, "por causa da população idosa, das carências económicas de muitos dos nossos munícipes e das distâncias". Outra é a criação de dois Serviços de Urgência Básica (SUB) em vez do previsto para Vila Nova de Foz Côa.

"Essa nunca será a solução ideal. Justifica-se mais um para servir Figueira, Almeida e Pinhel e outro para Trancoso, onde ficaria instalado, Mêda e Foz Côa", defende Júlio Sarmento.

Já o presidente da Câmara de Almeida considera este volte face "um recuo" da ARS "Só confirma que os dados não estavam devidamente analisados e que o documento final de restruturação da Rede de Urgências deve ser repensado", afirmou Baptista Ribeiro.

Irritado estava o edil de Fornos de Algodres. "Concordávamos com a medida desde que fossem fechados os sete SAP anunciados, mas se assim não vai ser haverá barulho", avisou José Miranda.

in DN, Luís Martins

3 comentários:

Anónimo disse...

Oizzz!
Esta medida é extremamente positiva mas surpreende de certa forma. Qual a origem deste possível recuo? De entre várias várias hipóteses que se possam apontar, penso que existiu um mau planeamento, ou seja, a medida foi ponderada sem se conhecer bem o problema no terreno. Uma situação Clássica! Outra hipótese é a cedência à pressão dos protestos o que revela fraqueza de quem dirige. A verdade pode ser esta, mas não quero ir por aí pois quero (apesar de querer nem sempre ser sinónimo de poder) acreditar que as decisões são tomadas por pessoas competentes.
A hipótese de manter Trancoso e Almeida revela uma opção geográfica mais aceitável. De facto, e se observarmos o mapa geográfico do distrito, estes três concelhos formam o triângulo central do mesmo, garantindo uma maior acessibilidade aos utentes.
Existirá o novo IP2 (uma nova AE) e já existe uma A23 e uma A25, relativamente próxima de todos os concelhos, e também uma maior concentração demográfica. Penso que esta é a solução economicamente, geograficamente e demograficamente mais viável. Mas como mais nunca é demais (e é para isso que se pagam impostos), dever-se-ia estudar com mais afinco, e consoante os trunfos existentes (vias de comunicação e estruturas físicas/humanas dos complexos SAP), a manutenção de pelo menos mais um serviço de SAP.
Quanto aos protestos do edil de Fornos de Algodres entendo que são em certa medida compreensíveis mas desajustados da realidade send que o seu concelho é servido pela A25, o que coloca Fornos a menos de 30 minutos da Guarda em situação de emergência (ou não!). E quanto à insinuação de "o que é para um é para todos" acho que é vergonhosa, vindo da parte de uma pessoa que se pretende responsável e que detenha o mínimo conhecimento acerca da situação económica e financeira do nosso país.
Já agora peço a todos vós que observem o mapa do distrito e respectivas vias de comunicação existentes e que passarão brevemente a existir. Certamente que chegarão à conclusão que esta medida até é minimamente aceitável. Agora só SAP na Guarda é que não lembra a ninguém!
Gostaria também de ler outras opiniões de forma a debater a questão e/ou encontrar outras soluções também aceitáveis para este problema que afecta todo o distrito. É o desafio que lanço!

1 Abraço a Todos!

Vasco Simões
VS

Nuno disse...

Caro Vs
Trancoso em relação a Foz Coa tem mais:
- População
- Comunidade estudantil de dia e que que pernoitam em Trancoso
- Triplo de trafego rodoviario por isso o ip2 ate Trancoso tem perfil de autoestrada e esta previsto o IC26 ate Amarante.
Centro de saude do Governo , instalações novas do proprio estado em Foz Coa é numas instalações provisorias emprestadas por uma entidade de Foz Coa.
-Trancoso fica no seguimento para umas urgencias hospitalares nivel II com intervenções cirurgicas Guarda ou seja tirando de celorico os doentes nao andam para trás.
-Maior dinamismo economico e comercial com mercados fortes semanais e feiras anuais
Dadas as condições do terreno concordo com outro sap que sirva Pinhel, Figueira e Almeida.
Quanto ao comentário do presidente de Fornos de Algodres é caso para dizer " No Comment " infeliz, penso que todos os concelhos devem ter um apoio médico não por os outros concelhos trem ou não terem mas sim para servir a população.
Quando ao conhecimento geografico ou ao estudo feito é fácil de tirar conclusoes, principalmente quando um deputado da assembleia da republica elegido pela Guarda dizer que Marialva(meda) fazia parte de Foz Coa.... que ridiculo !
Abraço e Bom Fim de Semana !

Nuno - Trancoso.pt.vu

al cardoso disse...

Caros Vasco e Nuno:
Sobre este tema ja me pronunciei mais que uma vez no: http://aquidalgodres.blogspot.com

Infelizmente e como natural de Fornos de Algodres, so tenho que lamentar que devido a uma fraca posicao, nos tenhamos que passar por esta vergonha, porque para mim sim e. Entao estavam contentes enquanto fechavam todos, nao tomaram nenhuma medida de uniao com todos os concelhos afectados, mesmo depois do apelo do presidente de Trancoso, e depois saiem-se com uma destas.
so tenho um comentario: "uma tristeza e, ate pobreza moral"