"Se pensas que és pequeno para fazer a diferença... tenta dormir num quarto fechado com um mosquito."
Provérbio africano, no editorial da revista "Recicla"

27.6.06

Solidariedade


O povo da Beira Interior manifesta a sua mais profunda solidariedade ao POVO IRMÃO ALFACINHA, pelo dia caótico de trânsito de que foi vítima no dia de hoje.
O povo da Beira interior sabe bem o que isso é: Todos os anos em Agosto, na noite em que actua o Tony Carreira, o trânsito fica impossivel para quem quer ir ao concerto...


Este ano vai actuar no dia 18 de Agosto!!!

:-)

14 comentários:

Anónimo disse...

O povo de Lisboa e arredores agradede esta irónica campanha de solidariedade lançada pelo Frederico.
Aproveitamos também para expressar a nossa solidariedade pelo facto de não terem acesso a imensos serviços, espectáculos e eventos. Se o quiserem fazer têm de percorrer 350 km... ou será a mesma coisa assistir pela TV ou pela Internet?

Anónimo disse...

Bibó Carreira!

Frederico disse...

Caro Anónimo,
O povo da Beira Interior agradece sensibilizado com a vossa preocupação.

Com efeito, confesso que no último ano apenas assisti a 4 iniciativas culturais, das duas dezenas organizadas na cidade.

Trataram-se de três peças de Teatro e a Festa da História (recriação da época medieval).

Diga-me quantas vezes foi ao Teatro no último ano, e confirme-me por favor que a CM Lisboa ou aquela onde reside, ofereceu à população a referida peça.

:-)

Com estima...

Nuno disse...

Ola sr. anonimo,

Há tempos um individuo do Porto com quem falou disse-me que seria mais fácil ir a um evento realizado no Porto se vivese aqui do que estando lá no Porto. Porque será? as pessoas aí vivem encaixotadas e com pouco tempo para se dedicar aquilo que por vezes é mais importante que parece. Por exemplo: Quase todas as semanas eu vou ao cinema, à piscina, ando de BTT, depois do trabalho tenho tempo para ir tomar um copo com um amigo e à noite saio todos os dias nem que seja tomar um café. Quantos Lisboetas fazem isto? talvez não mais de 5%, não porque eu tenha uma vida folgada , bem até tenho, não perco horas em filas de transito nem em Transportes publicos e também o acesso a estas infraestruturas estão a poucas centenas de metros de casa.:-), alem do mais começa a haver um ascendente a nivel de eventos nestas regiões do interior , por exemplo a Festa da História está ao nivel de alguns eventos médios das grandes cidades, no domingo em Trancoso haveria seguramente alguns milhares de pessoas.
Agradeço a sua participação neste blog,
Saudações Trancosenses,
Nuno

Nuno disse...

Onde se lê " falou " leia-se " falei "
onde se lê " vivese " leia-se " vivesse "
Onde se lê " infraestruturas " leia-se infra-estruturas "
e algumas faltas de acentos nas palavras, peço desculpa pela linguagem descuidada.
Nuno

Frederico disse...

DESCULPA?!
Começa JÁ a chicotear-te!!!

...Ou então corta os pulsos!


:-))))

Anónimo disse...

:)
Ok... também concordo que existe melhor qualidade de vida no interior! Isso qualquer um vê! Mas também há coisas boas nas grandes cidades e coisas más no interior, como já se tem debatido aqui neste blog! Há vantagens e desvantagens... Só isso... também há quem não aguente viver na pasmaceira e entenda que há maior qualidade de vida na cidade! Não é o meu caso, asseguro-vos, pois volto a repetir que existe melhor qualidade de vida no interior... só que também não façam de Lisboa ou do Porto um Inferno onde ninguém pode viver! Também não é assim!
Vantagens de viver na cidade:
* Ter acesso aos melhores Serviços de Saúde.
* Ter acesso aos melhores Serviços de educação.
* Ter acesso a uma série de serviços ligados ao Estado.
* Ter acesso mais fácil a serviços de transportes - aeroportos, estações ferroviárias internacionais(de Lisboa parte diariamente um comboio para Madrid e outro para França, por exemplo)
* Ter acesso mais fácil aos melhores Eventos realizados em Portugal (Desporto - Jogam os três grandes em Lisboa e Porto, sendo frequente ver das melhores equipas de futebol da Europa nestas duas cidades na liga dos Campeões; Música - Rock in Rio, Super Bock Super Rock, U2, etc, etc; Expo 98, Várias Peças de Teatro ...).
* Maior oferta de bens de consumo.
* Maior oferta de emprego.

É claro que também há as desvantagens que já foram referidas pelos colegas de blog e concordo perfeitamente! Concordo também que deveria haver um maior fomento, uma atitude mais pró-activa face ao desenvolvimento do interior... mas isso leva-nos a um outro debate, já velho conhecido e que está em outros topics no quais
também participei e dei a minha opinião!
Um Abraço a todos!
VS

Anónimo disse...

credo! Que mau!^Má escolha!

Anónimo disse...

Só para dizer que peças de teatro que a CM Trancoso trás, geralmente não são muito bem publicitadas, bem como o cinema. Porque razão é que não chega até à minha aldeia qualquer informação, o será que só em Trancoso é que há massa crítica e inteligente?

Chuss

ninive

Anónimo disse...

bibó Carreira!
Venha ele a nosso reino, seija feita a sua vontade assim em Trancoso como nos coliseus. Venha muita gente ver, aplaudir e encher a nossa terra de amantes... da música

Chuss

ninive

Nuno disse...

Cara Ninive,
Por acaso uma das coisas que tenho reparado é que a Trancoso-eventos aposta antes de cada evento na publicitação e distribuição de cartazes ás vezes ate passam spots na rádio bandarra. Naturalmente é complicado por um em cada rua ou esquina, mas quase de certeza que a sua aldeia também fez parte do trajecto de distribuição de panfletos e cartazes ou em ultimo recurso da agenda cultural.
Cumprimentos

Anónimo disse...

Caro Nuno,

Eles fazem publicidade, não nego, mas na minha aldeia e nas outras não chega nada. era necessário mais. Aposto que só vão às aldeias por duas ocasiões, ou para inaugurarem alguma coisa nas eleições ou para afixarem o cartaz da feira. E a rádio apesar de marginalmente interessante, nem sempre a ouço!

Chuss

Ninive

Anónimo disse...

Já agora qual é a sua aldeia ?

Frederico disse...

Caro VS,
Vi hoje o seu post.

Faz alguma ideia qual o destino mais frequente das mudanças que são realizadas a partir da cidade de Lisboa?

Um abraço