"Se pensas que és pequeno para fazer a diferença... tenta dormir num quarto fechado com um mosquito."
Provérbio africano, no editorial da revista "Recicla"

9.8.06

Composição de Emanuel Pimenta estreia em Budapeste

A última obra do artista multimédia luso-brasileiro Emanuel Dimas de Melo Pimenta, dedicada ao matemático húngaro Paul Erdos, vai ser apresentada domingo em Budapeste em estreia absoluta.
Trata-se de uma composição musical de 40 minutos para cinco computadores, intitulada ERDOS X, que será executada pelo compositor húngaro Sandor Fekete-Kiss no âmbito do Encontro Internacional de Ciência e Arte «Symmetry Festival».
A peça, descrita pelo autor como «um processo matemático não-intencional, celebrando a colaboração mútua e a amizade», vai ser tocada no Europa Congress Centre de Budapeste.
Emanuel Dimas de Melo Pimenta, 49 anos, iniciou a sua carreira internacional na Bienal de S. Paulo em 1985, quando se apresentou ao lado do compositor norte-americano John Cage.
Nas últimas duas décadas publicou vinte CD e participou em vários projectos internacionais de arquitectura, música e arte visual, usando as tecnologias de realidade virtual e do ciberespaço.
.
Melo Pimenta é também um dos promotores do Museu do Design do Tempo, que vai ser construído em Trancoso em parceria com a Câmara local e que reunirá um a colecção de relógios dos séculos XVII ao XXI.
.
Fonte: Lusa/ DD

3 comentários:

Anónimo disse...

Caro Mago,
não discuto a qualidade do senhor Pimento, respeito o seu percurso, será k teremos dividendos reais do seu Museu, ou será mais um golpe de Marketing desta câmara para se evidenciar, empenhando-se ainda mais. Julgo que é do domínio público. Só Sernancelhe tem contas saldadas. O resto é obra para francês ver.
Repito não questiono a qualidade do espólio, questiono outras situações...a sua pertinência, importância e relevância para o concelho de trancoso.
Sei que dirão que qualquer vila quereria ter este museu... mas então porque outras câmaras não fazem obras deste calibre?

Chuss

Ninive

Mago disse...

Cara Ninive,

Agradeço o seu comentário, este texto foi colocado apenas com o intuito de informar, não homenagear. Relativamente ao Museu do Tempo a minha opinião é que Trancoso optando por uma politica de polo turistico terá de criar "bases" para atrair pessoas para o seu centro histórico, repare a quantidade de pessoas que visitam o museu do Pão de Seia e outros pelo País com uma caractrística particular, porque não um do tempo em Trancoso ? Quando ao de outras Câmaras não fazerem obras deste calibre talvez a resposta esteja relacionada com a sua pergunta , não terão " calibre " para as fazer, ou então porque este genero de obras não faz parte da sua estratégia.

Cumprimentos

Anónimo disse...

Caro Mago,

Falou do Museu do Pão, sinceramente nunca lá fui. Sei que é muito bom e muito frequentado. Mas lembro que a localização do mesmo é diferente do público que lá se desloca. Lembro que o público que vai ao museu do Pão é essencialmente aquele que procura algo mais que a Serra da Estrela, com essa possível fuga ou alternativa Seia ficou a ganhar. Parabéns Seia!
Resta saber se Trancoso ou os responsáveis pelo Museu terão capacidade para divulgar correctamente o espaço. Gente capaz não duvido k haja, políticos, depende dos dias e do teor de álcool, téncicos competentes também os há, resta saber se há vontade. The "will" como dizem os americanos, quem a tem é senhor do mundo quem a não tem só faz número e monte.

Chuss

Ninive